Blog


05.04.2019

Momento cultura: um pouco da história do estilo Barroco na arquitetura brasileira

O estilo barroco teve seu auge entre os séculos XVII e XVIII. Com origem religiosa, iniciou na Itália e, num primeiro momento, se difundiu por outros lugares da Europa. Chegou ao Brasil quando os europeus vieram explorar o continente americano. 

Na época das missões jesuítas, o barroco começa a aparecer (ainda misturado a outros estilos) em algumas obras arquitetônicas, como é o caso das ruínas de São Miguel das Missões. 

São Miguel das Missões | Foto: Wikipedia

Utilizado pela igreja católica numa tentativa de aproximar o povo de seus templos e, por consequência, de seus princípios religiosos, a maioria das manifestações barrocas são vistas em capelas, catedrais, monastérios e esculturas que reproduzem passagens bíblicas. 

O barroco é, por si só, uma releitura do estilo clássico. É mais subjetivo e ornamentado, contendo elementos que trazem um efeito de perspectiva, como paredes côncavas e convexas, arcos e abóbadas. Pintura e escultura se complementam dando uma grande riqueza de detalhes às construções. 

Os materiais mais usados pelos artistas e arquitetos barrocos brasileiros eram a pedra-sabão e a madeira. A matéria-prima era talhada para adquirir as formas desejadas. Além disso, muitos elementos eram cobertos por uma camada de ouro, principalmente no interior das construções. As igrejas barrocas, especialmente, possuem uma aparência muito mais sofisticada no seu interior, enquanto a parte externa é relativamente simples.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos – Ouro Preto/MG | Imagem: Youtube

Igreja e Convento de São Francisco – Salvador/BA | Foto: Arch Daily

O nordeste e o sudeste do país foram as regiões onde a arte e arquitetura barroca mais se desenvolveram. Na Bahia, por exemplo, se propagou a vertente do barroco joanino, trazido da Europa pelo arquiteto português Francisco Dias.

No entanto, o auge da arquitetura barroca no Brasil aconteceu por volta do século XVIII, no período da exploração do ouro e diamante, especialmente em Minas Gerais. Foi lá que viveu o grande exponente da arte barroca brasileira: Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho. Em seus trabalhos, Aleijadinho depositava características singulares da vida local, abrasileirando o estilo barroco e tornando-o parte da identidade nacional. É de sua autoria a construção da Igreja de São Francisco de Assis, de Ouro Preto.

Igreja de São Francisco de Assis – Ouro Preto/MG (exterior) | Imagem: Ouro Preto Cultural

Igreja de São Francisco de Assis – Ouro Preto/MG (interior) | Imagem: Flickr

Ouro Preto é uma cidade emblemática quando pensamos em barroco brasileiro. Nos dias atuais, uma grande quantidade de turistas de dentro e fora do Brasil se deslocam até a região para apreciar as construções históricas, como as casas, igrejas e o Museu da Inconfidência.

Museu da Inconfidência – Ouro Preto/MG | Foto: Wikipedia

O barroco de Minas Gerais chegou a receber até mesmo influência chinesa. Isso mesmo que você leu! Na época do Brasil colônia, em algumas viagens exploratórias, os portugueses acabaram trazendo chineses da Ásia para a América, para trabalhar especificamente na pintura das igrejas. Como o trabalho destas pessoas não era rigidamente inspecionado, não era incomum que eles inserissem elementos de sua cultura de origem nas obras. Pássaros, tigres, dragões, flores: tudo misturado ao conceito do barroco.

Motivos chineses na Capela da Nossa Senhora do Ó – Sabará/MG


Gostou de conhecer um pouco mais sobre a história do Barroco no Brasil? Então compartilhe o conteúdo nas suas redes e chame aquele amigo fã de arquitetura e história para ler. ;)
Compartilhe